Sete anos depois APALAVRA disponibiliza a operadores de Direito defesa no processo em que irmã de Tatiana Medeiros chama cargo de prefeito de CG de "merda"

Colunistas

  • Marcos Marinho
    NADA DE VLT
  • Amaro Pinto
    O ERMITÃO DA LADEIRA.
  • Júnior Gurgel
    A REVANCHE - ALEXANDRE DE MORAES, SALVAÇÃO DO STF
  • Vanderley de Brito
    A morte trágica do fogueteiro Lau Tomé

Enquete

Mais Lidas

Galeria de Fotos

  • A história da primeira santa brasileira (Irmã Dulce), em fotos

  • Filiação de Romero Rodrigues no PSD

  • Troféu Gonzagão 2018

Entrevistas

AGASSIZ ALMEIDA: Condenação de Lula foi a canalhice do século

“Procuradores da Lava Jato, respondam à Nação

Srs. Procuradores,

Norteado pelos objetivos de salvaguardar a nossa Instituição, assenta em sólidos postulados constitucionais e pelos quais lutei ao lado de uma plêiade de constituintes na Assembleia Nacional Constituinte (1986-1988), encaminhei aos senhores, no dia 14 de julho do corrente ano, mensagem sob o título “Carta Aberta aos Procuradores da Lava Jato”.

Não recebi nenhuma resposta, apenas ouvi um rosnar de ameaças cujos ecos pareciam vir de algum covil de malfeitores.

No curso da vida, desde a minha juventude, caminhei à beira de abismos, e, logo cedo, a ditadura militar lançou contra mim a baba do ódio, arrastando-me ao cárcere.

Os sóis dos cariris do Nordeste me temperaram para os embates do mundo, e aprendi a não temer a turba raivosa dos lunáticos.

Em todos os tempos, os algozes e lacaios se assemelham.

Nos porões do Doi-Codi da ditadura militar se ouviam gritos dos torturados.

Hoje, lá no calabouço da Lava Jato, sabe-se apenas do soluço abafado dos prisioneiros, muitos deles devastados pelo terror, como Palocci, fronteiriço a um psicopata.

Cai sobre eles a mordaça do autoritarismo togado.

Que depoimento se extrai de farrapos humanos?

No regime fardado a violência se desencadeava nas caladas da noite com prisões, torturas e...

>>>> Continue lendo