Museu Digital de Campina Grande é inaugurado e passa a contar história da cidade em linguagem virtual

09/11/2017

Os versos imortalizados por Jackson do Pandeiro ("Campina Grande tá bonita, tá mudada, muito bem organizada e cheia de cartaz") ficaram cada vez mais atuais na noite desta terça-feira (07) quando o prefeito Romero Rodrigues participou da inauguração do SESI Museu Digital, localizado no Monumento do Sesquicentenário, às margens do Açude Velho, e destacou a emoção e o sentido histórico daquele momento.

Construído pela Prefeitura Municipal entre 2013 e 2015, a obra que retrata os antigos tropeiros da Borborema foi repassada ao Serviço Social da Indústria (SESI) em acordo inicial de 30 anos e passa a ser um dos mais importantes equipamentos tecnológicos e culturais de Campina Grande, tornando-se uma ferramenta fundamental para retratar a história do município a campinenses e turistas.

O museu começa a funcionar já a partir desta quarta-feira, 08, das 9h às 19h.


Bastante prestigiado, o evento contou ainda com as presenças do presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade, do presidente do Conselho Nacional do SESI, João Henrique de Almeida Sousa, além do presidente da Federação das Indústrias do Estado da Paraíba (FIEP), Francisco de Assis Benevides “Buega” Gadelha, empresários e várias autoridades de todo o Estado.

Depois do descerramento das placas, todos seguiram para o palco montado ao lado do Museu Digital, discursaram e acompanharam a apresentação da “Orquestra Criança Cidadã, Meninos do Coque”, da cidade de Recife.

RECONHECIMENTO

Em suas falas, tanto o presidente da CNI, Robson Braga de Andrade, como o presidente da FIEP, Buega Gadelha, mostraram-se entusiasmados com a inauguração do museu e parabenizaram enfaticamente o prefeito Romero Rodrigues pela construção do monumento.

“Esse equipamento vai oferecer a possibilidade para jovens, estudantes, campinenses e turistas conhecerem um pouco mais do passado de uma cidade tão importante quanto Campina Grande. Muito mais do que um museu, essa ferramenta vai possibilitar melhorar o nível da educação do município. É por isso que nós agradecemos ao prefeito Romero pela parceria com o SESI e rendemos nossos parabéns pelo prédio magnífico. É um espaço fantástico”, disse o mandatário da CNI.


Por sua vez, após resumidamente explanar sobre a história de Campina Grande, da chegada dos tropeiros até os dias atuais, passando pela instalação da FIEP na cidade, o presidente da instituição, Buega Gadelha, disse que o “Museu Digital vai ser o repositório de tudo isso. Vai ser o transmissor dessa rica história para as gerações atuais e nossos pósteros”.

PREFEITO AGRADECE

Já o prefeito Romero Rodrigues aproveitou a oportunidade para agradecer a todos os servidores e auxiliares da Prefeitura que trabalharam, direta ou indiretamente, na construção do monumento.

Para o gestor, além de representar a marca dos 150 anos de Campina Grande, em um local histórico, onde lá atrás os tropeiros despertaram a pujante vocação empreendedora da cidade, o Museu Digital torna-se agora, através da parceria com o SESI, num equipamento enriquecedor da cultura campinense.

“Além disso, esse equipamento vai ter uma função por demais importante: ajudar aos nossos alunos da rede municipal, os estudantes das escolas estaduais, a ter a oportunidade de aprender e conhecer mais da nossa história por meio da tecnologia”, completou Romero.

ESTRUTURA

O museu instalado no Monumento do Sesquicentenário de Campina Grande é pioneiro no segmento na Paraíba.

O equipamento reúne em um único espaço mecanismos de transmissão variados, utilizando diversas linguagens tecnológicas, recursos cenográficos e cinematográficos, iluminação cênica, cor, luz pontual, soluções gráficas, recursos multimídias e experiências sensoriais.

O SESI Museu Digital alia tradição e modernidade, uma característica da identidade de Campina Grande.

A história da cidade passa a ser contada a partir de textos históricos, depoimentos de personalidades que engrandeceram e continuam enaltecendo a Rainha da Borborema, com o auxílio da tecnologia que deverá tornar esta “viagem no tempo” um caminho agradável e instigante.

A estrutura interna do Museu conta com uma sala com tela de projeção de 9 metros, Mapa Digital, Vídeowall, Karaokê, Espaço Selfie, Espaço para exposições itinerantes, Óculos com filme em Realidade Virtual, Jogos Interativos, entre outros mecanismos.


Fonte: Da Redação, com fotos de Leonardo Silva




Comentários realizados

  • Essa matéria ainda não tem comentários realizados e você pode ser o primeiro a comentar.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de e-mail é de preenchimento obrigatório, mas não se preocupe que não publicaremos. Seu comentário será moderado pelo administrador do site e só será divulgado após isso.*


Outras Notícias