Aneel define redução na tarifa de energia da EBO

30/01/2020

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) definiu hoje o índice de reajuste tarifário da Energisa Borborema.

Os clientes da distribuidora perceberão uma redução média de 1,78%. Para os clientes de baixa tensão a redução será de 1,63%.

Já para os clientes de alta e média tensão, a exemplo das indústrias, a redução será de 2,17%.

Com isso, em relação às distribuidoras de energia do Nordeste, a Energisa Borborema é a que possui a menor tarifa.

O reajuste passa vigorar a partir do dia 4 de fevereiro.


O reajuste tarifário é um processo regulado e definido pela Aneel, previsto no contrato de concessão da empresa. Estes contratos apresentam regras bem claras a respeito das contas de luz, bem como a metodologia de cálculo dos reajustes. Pela norma, o valor da tarifa poderá ser reajustado anualmente – o chamado Reajuste Tarifário Anual – e a cada quatro anos, no processo de Revisão Tarifária Periódica.
Na tabela a seguir, pode-se observar o Efeito Médio Total de -1,78% aberto por componente tarifário:



No que diz respeito à distribuidora, o reajuste com efeito negativo se deve às ações de controle da inadimplência, combate às perdas de energia e aos serviços cada vez mais eficientes realizados pela Energisa na região da Borborema.

A Energisa Borborema é responsável pela distribuição de energia em seis municípios da Paraíba: Campina Grande, Queimadas, Fagundes, Boa Vista, Massaranduba e Lagoa Seca, totalizando cerca de 215 mil unidades consumidoras.

COMPOSIÇÃO DA TARIFA DE ENERGIA
A tarifa de energia elétrica é composta por custos da distribuição, que formam a Parcela B da tarifa, e os custos de transmissão e geração de energia, além de encargos e impostos, chamados de Parcela A. O preço final da tarifa é dividido, portanto, em duas parcelas:

  • Parcela A – trata-se de custos cujos montantes e preços escapam à vontade ou gestão da distribuidora, que atua apenas como arrecadadora;
  • Parcela B – custos diretamente gerenciáveis, administrados pela própria distribuidora, como operação e manutenção e remuneração dos investimentos.
Veja na conta de luz abaixo a composição da tarifa e a distribuição de valores entre parcelas A e B:
 





ENCARGOS E IMPOSTOS NA TARIFA
A ilustração abaixo mostra a divisão da fatura de energia elétrica em cada um dos itens que compõem a cadeia do setor elétrico brasileiro, considerando a receita da concessionária acrescida dos impostos e tributos (ICMS, PIS/COFINS). A tarifa final do consumidor da Energisa Borborema contém 37% de encargos e impostos.



A parte que cabe à distribuidora de energia representa apenas 24% da composição da tarifa. É por meio dessa parcela que a Energisa Borborema distribui energia a todos os clientes, paga funcionários, fornecedores e prestadores de serviço, mantém e amplia a rede e os sistemas elétricos, além de investir na modernização e melhoria crescente da qualidade dos serviços prestados.

CONSUMO CONSCIENTE E TARIFA SOCIAL
Vale lembrar que existem alternativas para reduzir a conta de luz, como a Tarifa Social de Energia Elétrica onde famílias com renda de até meio salário mínimo por pessoa têm direito ao benefício, concedido pelo Governo Federal, e podem obter descontos de até 65% na tarifa. Para se cadastrar no programa é preciso procurar o Centro de Referência em Assistência Social da cidade com documentos pessoais e o número de NIS. Após realizado o cadastro, o cliente deve procurar um posto de atendimento da EBO para finalizar o processo.

Outra forma é reduzir o consumo de energia, e pequenas ações no dia a dia podem fazer a diferença. Além do site da EBO, o cliente pode obter dicas nos canais nas redes sociais – principalmente o Twitter, Facebook e o canal no You Tube –, fontes importantes de informação sobre consumo consciente. No site da Energisa é possível encontrar ainda vídeos explicativos que facilitam o entendimento do consumidor a respeito da conta, da composição da tarifa e sobre como é possível economizar.

Um aspecto fundamental que pressiona a tarifa é o furto de energia. Para se ter uma tarifa de energia mais barata no futuro, é necessário que as pessoas não façam e não aceitem o furto de energia. Essas irregularidades, além de impactarem o valor da conta de luz, prejudicam a qualidade do fornecimento, provocam acidentes que podem ser fatais e reduzem a arrecadação de impostos que poderiam ser revertidos em benefícios para toda a população. Na Paraíba, o cidadão pode denunciar o furto de energia de maneira sigilosa pelo 0800 083 0196, site www.energisa.com.br, whatsapp (83) 99185-3738 ou pelo app Energisa On.

Mais informações:
Alexandre Melo - 99136.5212

Fonte: Assessoria




Comentários realizados

  • Essa matéria ainda não tem comentários realizados e você pode ser o primeiro a comentar.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de e-mail é de preenchimento obrigatório, mas não se preocupe que não publicaremos. Seu comentário será moderado pelo administrador do site e só será divulgado após isso.*


Outras Notícias

Vídeos Destaques