Sindicato acusa Correio da Paraíba de "pegar carona" no Decreto de calamidade sobre Coronavírus para não pagar devidamente indenizações dos demitidos

11/04/2020

O presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado da Paraíba, Land Seixas, ao confirmar ontem em João Pessoa a demissão de 182 empregados do extinto jornal Correio da Paraíba, acusou a direção da empresa de estar “pegando carona” no Decreto presidencial da calamidade pública para não pagar na forma devida as verbas rescisórias.

Land informou que a assessoria jurídica da entidade está avaliando a situação quanto à legalidade das demissões lembrando que o jornal já vinha “mal das pernas” há muito tempo, bem antes da crise do novo Coronavírus.

Até mesmo colaboradores que já não prestavam serviços diretamente para o jornal, mas mantinham seus contratos de trabalho vinculados ao Jornal Correio da Paraíba foram dispensados, segfundo Land Seixas.

O Portal Correio, braço do grupo na internet, mantém apenas três jornalistas trabalhando na produção de conteúdo.

Land ainda questionou por que as demais empresas do Sistema Correio (TV, rádios e portal) não fecharam também com base no mesmo decreto.

A diretoria do Sindicato dos Jornalistas espera uma reunião com a diretoria do grupo para discutir as dispensas.

Fonte: Da Redação




Comentários realizados

  • Essa matéria ainda não tem comentários realizados e você pode ser o primeiro a comentar.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de e-mail é de preenchimento obrigatório, mas não se preocupe que não publicaremos. Seu comentário será moderado pelo administrador do site e só será divulgado após isso.*


Outras Notícias