SINDIFARMA não apresenta proposta de reajuste para os trabalhadores do setor e impasse continua

01/09/2020

O acordo referente ao pagamento do reajuste salarial, abonos e outros ganhos econômicos para os trabalhadores das farmácias de Campina Grande não foi fechado na última reunião, ocorrida no dia 27 do corrente mês, com a presença de representantes do MPT – Ministério Público do Trabalho, Sindicato dos Comerciários e do SINDIFARMA. O presidente do sindicato laboral, José do Nascimento Coelho, mostra-se revoltado com o impasse, pois segundo ele, existe uma recomendação oficial do MPT, para que os empregadores do setor tratem seus trabalhadores das mesma forma dos demais segmentos da economia local.

“Infelizmente o SINDIFARMA se recusou a oferecer qualquer ganho aos trabalhadores do setor de farmácias, mesmo diante da recomendação do MPT, num total desrespeito ao órgão que detém grande respeito e credibilidade junto e à sociedade”, finalizou Coelho, adiantando que uma nova reunião acontecerá no dia 24 de setembro do corrente ano.

Uma nova contraproposta (por escrito) será encaminhada, antes da próxima reunião, ao Sindicato dos Comerciários pelo O SINDIFARMA, e caso não haja negociação, o sindicato laboral vai solicitar a ata negativa para instaurar o dissídio coletivo, tendo em vista que o SINDIFARMA já assinou dois acordos garantindo o pagamento dos feriados e suas respectivas folgas para os trabalhadores do ramo farmacêutico, segundo Coelho.

Várias reuniões já foram realizadas entre o SINDIFARMA e o Sindicato dos Trabalhadores no Comércio de Campina Grande e Região, com o objetivo de garantir os pontos pendentes na Convenção Coletiva 2019/2020, para os funcionários das farmácias. Na penúltima reunião remota, o procurador do MPT, Marcos Antônio Ferreira Almeida recomendou o SINDIFARMA a conceder aos funcionários do setor, o reajuste referente ao piso salarial dos comerciários, como também o aumento de 3% para quem recebe acima do piso, todos retroativos a 1º de julho do ano passado, além de outros direitos.

Fonte: Assessoria




Comentários realizados

  • Essa matéria ainda não tem comentários realizados e você pode ser o primeiro a comentar.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de e-mail é de preenchimento obrigatório, mas não se preocupe que não publicaremos. Seu comentário será moderado pelo administrador do site e só será divulgado após isso.*


Outras Notícias

Mais Lidas