Atuações: Treze vai mal coletivamente, se perde em erros e sem o brilho de estrelas

01/08/2018
Foto: Kid Junior
Foto: Kid Junior

O Treze viveu intensamente a semana de sua primeira decisão de Campeonato Brasileiro. Sonhava em uma grande atuação para encaminhar o título da Série D. Mas, na prática, tudo deu errado. O Galo foi completamente envolvido pelo Ferroviário a acabou amargando uma derrota de 3 a 0 na Arena Castelão.

A derrota teve várias justificativas. O time fez a sua pior exibição na temporada. Coletivamente, a equipe foi mal. Individualmente, pior ainda. As estrelas não brilharam como de costume e até mesmo o plano tático, sempre uma marca de Flávio Araújo, dessa vez foi controlado pelo adversário.
Ferroviário x Treze, Arena Castelão (Foto: Kid Júnior / Agência Diário)
Ferroviário x Treze, Arena Castelão (Foto: Kid Júnior / Agência Diário)

O sistema defensivo, em particular, esteve irreconhecível. Tudo que foi para o gol de Mauro Iguatu entrou. Os zagueiros Ítalo e Nílson Júnior erraram tudo e os laterais foram envolvidos com facilidade. Isso para não falar no nervosismo que fez com que Ítalo recebesse cartão amarelo e ficasse fora da final; e Silva ser expulso num lance bobo.

Com tantos erros, coube a Ceará, pelos lampejos que teve no segundo tempo, ser o melhor do time do Treze na partida.

As notas

Mauro Iguatu. Pegou as bolas defensáveis. O resto entrou. Nota 5

Talisson. Muito mal na partida. Inoperante no apoio e muito fraco defensivamente. Nota 3,5

Ítalo. Fez a sua pior partida na Serie D. Muito nervoso, ainda levou o terceiro cartão amarelo e está fora da finalíssima. Nota 4

Nilson Júnior. Conseguiu ser ainda pior do que o companheiro de zaga. Falhou em dois dos três gols do Ferroviário. Nota 3


Silva. Era o melhor do sistema defensivo até ser expulso num lance bobo. Complicou ainda mais a situação do Treze na partida. Nota 2

Copetti. Também não esteve em seus melhores dias. Como é termômetro do time, taí o resultado do jogo. Nota 4

Dedé. Teve algumas oportunidades de marcar, mas finalizou muito mal. Em algumas jogadas, como no terceiro gol, pareceu displicente. Nota 3

Marcelinho Paraíba. Levou perigo nas bolas paradas, mas esteve longe de ser o maestro do time. Acabou sendo substituído. Nota 5

Rayllan. Entrou no lugar de Marcelinho, mas não mudou muito o panorama da partida. Nota 4

Leilson. Bem marcado, esteve abaixo do que pode render. Também pareceu nervoso, tanto que levou cartão por reclamação. Foi substituído no intervalo. Nota 3,5

Patrick. Entrou e até deu uma opção diferente para a equipe. No entanto, acabou perdido pela inoperância ofensiva do Galo. Nota 5

Leandro Love. Brigou muito e até teve a melhor chance do Galo, quando finalizou no travessão. Acabou sendo sacrificado com a expulsão do Silva. Nota 5

Ceará. Fez um primeiro tempo discreto, mas subiu de produção na segunda etapa e acabou sendo o melhor jogador do time. Nota 5,5

Zé Carlos. Entrou para recompor o sistema defensivo após a expulsão do Silva. Não comprometeu e ainda foi para o ataque tentar alguma coisa. Nota 5

Flávio Araújo. Foi surpreendido pela forte marcação do adversário. Tentou consertar no intervalo, mas não contava com as falhas individuais do sistema defensivo. Nota 4

Fonte: Globoesporte




Comentários realizados

  • Essa matéria ainda não tem comentários realizados e você pode ser o primeiro a comentar.

Outras Notícias