Novo colunista d’APALAVRA é historiador e diz que pedra do Ingá é o mais sofisticado expoente rupestre nacional

07/02/2018

A partir de hoje APALAVRA passa a contar na sua grade de colunistas com o texto de Vanderley de Brito, historiador com especialização em arqueologia, escritor, genealogista, poeta, roteirista para teatro e cinema, articulista e artista plástico, residente em Campina Grande.

Nosso estreante é autor dos livros “A Serra de Bodopitá”, “A Pedra do Ingá”, “Arqueologia na Borborema”, “Missões na Capitania da Paraíba”, “Memorial da Associação Comercial e Empresarial de Campina Grande”, e também organizador do livro coletânea “Pré-História: estudos para a arqueologia da Paraíba”.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Na condição de fundador da Sociedade Paraibana de Arqueologia e membro do Instituto Histórico de Campina Grande, chega até APALAVRA por convite da editoria acatando sugestão de Ida Steinmuller, também fundadora do IHCG.

O primeiro artigo de Vanderley, já postado no espaço próprio, faz uma breve reflexão sobre a Pedra do Ingá, uma dentre as milhares de inscrições rupestres existentes nos rochedos do Brasil e que para ele talvez seja “a mais sofisticada expoente de inscrição incisa em rochas já feita na pré-história ameríndia e não seria absurdo supor que talvez represente o grau mais elevado deste gênero de manifestação parietal”.

Fonte: Da Redação




Comentários realizados

  • Essa matéria ainda não tem comentários realizados e você pode ser o primeiro a comentar.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de e-mail é de preenchimento obrigatório, mas não se preocupe que não publicaremos. Seu comentário será moderado pelo administrador do site e só será divulgado após isso.*


Outras Notícias