Arthur Bolinha entra no ramo da comunicação e arrenda Cariri AM prometendo botá-la em primeiro lugar no Ibope

06/09/2017

Abalada profundamente com a recente “revolução” ocorrida no meio, em João Pessoa, onde mudanças mexeram de forma radical com a grade de programação de diversas emissoras de rádio e TV em face da troca de posições nos microfones dos principais sistemas de comunicação, com reflexos imediatos em Campina Grande, a radiofonia campinense começou a reagir e a previsão é de que também por aqui aconteça nos próximos dias uma saudável “revolução”, capaz não somente de oxigenar a área mas expurgar a entrada nos horários locais de ícones do rádio pessoense, teimosa ação que vem desfigurando por completo o bom conceito profissional do setor na Rainha da Borborema.

A primeira e mais providencial mudança, espécie de BOMBA a causar “estragos” benéficos, já estourou e tem tudo para dar certo: a troca de direção na rádio Cariri AM, uma das emissoras que nos próximos dias migrará para a frequência modulada, providencia que também atingirá as outras AM’s – Caturité, Cidade de Esperança e Clube (a velha Borborema, que vai voltar a operar com o nome antigo, já sob direção do Grupo São Braz).

A Cariri AM, pertencente à família Ribeiro, sob presidência do deputado federal Aguinaldo Ribeiro, que estava parcialmente arrendada ao grupo Duraplast, vem mantendo uma programação mixta de jornalismo e variedades, mas sem nomes de peso no ‘cast’ que realmente possam interferir na boa formação da opinião pública.

BOLINHA NA CARIRI

Mas, agora a Cariri AM passa ao comando do irrequieto e vitorioso empresário Arthur Almeida, o conhecido ‘Bolinha’ que preside a Câmara de Dirigentes Lojistas de Campina Grande e incursiona com louvor pela política partidária, tendo disputado já por duas vezes a prefeitura da cidade, sendo portanto um nome de excelente conceito em todos os setores da economia local.

Bolinha também praticamente arrendou a Cariri, onde comandará todos os horários à exceção daquele do meio dia às duas da tarde, ocupado por contrato terceirizado de interesse do dono da emissora, o deputado Aguinaldo. “Vamos fazer um jornalismo que diga o que deve ser dito, independente de quem  seja”, avisou ele à reportagem d’A PALAVRA  para situar qual a linha que a rádio seguirá doravante.

Bolinha revelou que “não quis” a programação da rádio, o que significa dizer que fará alterações, inclusive contratando figuras de experiência para botar a emissora no topo do Ibope. Um desses nomes, conforme apurou a reportagem d’APALAVRA, será Morib Macedo, jovem talentoso multimídia que fazia sucesso na Correio FM e na TV do grupo até meses atrás.

A CBN CHEGANDO

O Grupo São Braz, que adquiriu do Sistema Hap Vida a rádio Clube AM, já em avançado processo de migração para FM, decidiu que vai operar com o nome antigo (rádio Borborema) e sinal da Companhia Brasileira de Notícias, a famosa CBN (a rádio que toca notícia).

Também deve operar com um ‘cast’ mais experiente, embora aproveite a chamada prata da casa que atua na TV Paraíba, em cuja área física funcionarão os seus estúdios, no bairro dos Cuités.

ARAPUAN NA PONTA

O Sistema Arapuan, que opera em Campina Grande na frequência (FM) 107.3 e já sepultou no horário da manhã a transmissão de noticioso gerado na Capital, abrindo assim espaço para  o ‘Jornal de Verdade’ de Juarez Amaral & Cia deve também mexer nos outros horários e botar profissional campinense no ar.

CORREIO SÓ DE OLHO

O Sistema Correio, segundo um dos seus executivos em Campina Grande, não deve mexer no time, embora a queda no Ibope em horários estratégicos, como o do final da tarde com Milton Figueiredo, venha acendendo a luz amarela e preocupado o marketing da sua direção.

“O faturamento nesse horário bate todas as nossas metas, mas...”, diz assim reticente o executivo sinalizando que existe preocupação com a mexida no “cast” das concorrentes.

PANORAMICA NO STAND BY

Propriedade do deputado Damião Feliciano e da sua esposa a vice-governadora Lígia Feliciano, a Panorâmica FM continua com programação “insossa” focada mais nos interesses da dupla, o que significa dizer que não há previsão de alterações marcantes em vista a curto prazo.

“Primeiro nós vamos ver como se comportarão as AM’s quando migrarem para a frequência modulada”, avisa um interlocutor da emissora.

CAMPINA FM NO SILÊNCIO

A mais potente modulada da Paraíba, a Campina FM, também optou pelo silêncio e ninguém fala sobre alterações na grade jornalística. Seu principal noticioso, o ‘Jornal Integração’, tem estado no topo da audiência sob comando de Lenildo Ferreira e Kaliulka Vólia, dando furos de reportagem na concorrência.

É provável que o jornalismo ganhe novos espaços, não sendo descartado um novo programa para o fim da tarde, fazendo frente aos das outras emissoras, embora isso seja aventado apenas no campo remoto das hipóteses.

“Estamos plenamente satisfeitos com a audiência musical nesse horário, mas poderemos estudar a possibilidade no futuro”, diz Filipe Motta, diretor de programação.

Fonte: Da Redação




Comentários realizados

  • Essa matéria ainda não tem comentários realizados e você pode ser o primeiro a comentar.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de e-mail é de preenchimento obrigatório, mas não se preocupe que não publicaremos. Seu comentário será moderado pelo administrador do site e só será divulgado após isso.*


Outras Notícias