Médico dono da Promédica e da aguardente Caranguejo é preso junto com filho por sonegarem R$ 200 milhões de impostos

10/04/2020

Quatro empresários residentes em Campina Grande e Recife, dentre eles o médico Luiz Magno Almeida e seu filho Lulinha, que são donos ou tem participação acionária em um grupo de empresas (Aguardente Caranguejo, engenho Macaíba, Rede de laboratórios Promédica e Clínica Santa Clara, dentre outras), tem mandado de prisão decretado por sonegação de R$ 200 milhões em impostos estaduais.

Ao todo, são 33 empresários investigados na segunda fase da Operação Noteiras, que tem como objetivo desarticular uma organização criminosa que, juntamente com um grupo de empresas, movimentou de forma ilícita aproximadamente R$ 200 milhões em mercadorias e nota fiscais inidôneas.

Luiz Magno Almeida e seu filho Luiz Magno Almeida Filho foram encontrados e detidos. O pai passa por uma delicada questão de saúde (um CA de Pulmão) e deve ficar em prisão domiciliar.

Renata Luz, promotora de Combate à Sonegação Fiscal de João Pessoa, diz que desde 2017 os alvos são investigados. Além dos mandados de prisão, froram feitas apreensões de material comprobatório nas empresas.

A promotora também afirma que houve o sequestro de bens, tanto das empresas, como bens das pessoas donas das empresas.

Renata diz que num momento de saúde pública tão delicado, a população precisa do ressarcimento dos valores.

A OPERAÇÃO

Durante as investigações, constatou-se a existência de uma organização criminosa especializada na constituição de empresas de fachada que simulam operações de compra e venda de mercadorias, com o fim de acobertar operações realizadas por outras empresas que, por sua vez, funcionam com ares de regularidade, promovendo a circulação de mercadorias sem o recolhimento do imposto devido, causando grave dano ao Estado da Paraíba.

De acordo com a Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz), a prisão dos quatro empresários foi decretada após o recebimento de denúncia, que imputa aos 33 acusados os crimes de organização criminosa, falsidade ideológica, sonegação fiscal e lavagem de dinheiro, cujas penas máximas, somadas, totalizam 28 anos de reclusão.

A operação é uma atuação conjunta da Secretaria de Estado da Fazenda (SEFAZ-PB), por meio da Gerência Executiva de Combate à Fraude Fiscal (GECOF), do Ministério Público da Paraíba (MP-PB), por meio da Promotoria de Crimes Contra Ordem Tributária e da Polícia Civil, por meio da Delegacia de Especializada de Combate aos Crimes Contra Ordem Tributária.

LULINHA

Luiz Magno Filho é conhecido em Campina Grande pela milionária vida de playboy que leva, sendo figura cotidiana das colunas e redes sociais, sempre ao lado de beldades e famosos.

A bordo de jatinhos, percorre o mundo como quem sai de Campina Grande e vai a Alagoa Nova, onde funciona o engenho de açúcar (Macaíba), de propriedade da família.

Fonte: Da Redação




Comentários realizados

  • 15/04/2020 às 15:48

    Amanda silva

    É uma verdadeira palhaçada por causa desses irresponsáveis, centenas de trabalhadores ficaram sem seus sustentos e a partir de agora estão trabalhando de graça,ele tem que pelo menos fazer um jeito pra liberar um dinheiro pros trabalhadores pois eles precisam muito e vão começar a passa fome!

  • 03/04/2020 às 13:51

    VALFREDO FARIAS

    Se for mexer nesse negócio de sonegação de impostos, cai muita gente. Aqui mesmo em Campina, o que tem de cara que enrica do dia pra noite...

Deixe seu Comentário

Seu endereço de e-mail é de preenchimento obrigatório, mas não se preocupe que não publicaremos. Seu comentário será moderado pelo administrador do site e só será divulgado após isso.*


Outras Notícias