Ministério Público Federal não descarta novos alvos e diz que pode haver uma terceira fase na Operação Famintos

26/08/2019

Em coletiva de imprensa na manhã de hoje o procurador do Ministério Público Federal (MPF) em Campina Grande, Bruno Paiva, não descartou novos alvos na Operação Famintos.

O delegado da PF Raone Aguiar não descarta uma terceira fase da operação, mas vai depender do material probatório apreendido. Ele disse que os mandados judiciais foram cumpridos nas casas dos investigados e nas empresas de fachada ou empresas que funcionam regularmente mas não têm contrato com a Prefeitura e que estavam sendo subcontratadas. Também foi descoberto o uso de ‘laranjas’ para fraudar as concorrências, bem como conluios entre empresas. A PF foi nesta sexta-feira (22), a 60 locais, nessa segunda fase da operação.

Entre a primeira e a segunda fase da operação houve uma ampliação, com a descoberta de novas empresas envolvidas no esquema. Segundo a PF, há dois tipos de contratação de merenda escolar em Campina Grande, centralizada e descentralizada. O inquérito focou a investigação na parte da organização criminosa que fornece alimentos para mais de 100 escolas. Essa parte da organização é formada por cinco subgrupos.

Gabriel Aragão, chefe da Controladoria Geral da União na Paraíba (CGU), explicou que vários grupos de empresas estavam monopolizando o fornecimento de merenda para a rede municipal de Campina Grande.

Fonte: Da Redação




Comentários realizados

  • Essa matéria ainda não tem comentários realizados e você pode ser o primeiro a comentar.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de e-mail é de preenchimento obrigatório, mas não se preocupe que não publicaremos. Seu comentário será moderado pelo administrador do site e só será divulgado após isso.*


Outras Notícias