Neto do dono do São Braz e da TV Paraíba vai a júri popular por morte de agente de trânsito no Bessa

03/10/2019

O réu Rodolpho Carlos Gonçalves, que atropelou e matou o agente de trânsito Diego Nascimento durante uma blitz da Operação Lei seca no bairro do Bessa, em João Pessoa, neto do empresário José Carlos da Silva Júnior, que é dono das TV’s Paraíba e Cabo Branco e das Indústrias São Braz, será levado a júri popular pelo homicídio qualificado.

A decisão, tomada ontem, foi do juiz Marcos William, do 1º Tribunal do Júri da Capital. O fato aconteceu em 21 de janeiro de 2017.

O advogado Sheyner Asfora, que representa Rodolpho Carlos no processo, disse que vai apresentar recurso por entender que o episódio não poderia ser caracterizado como homicídio doloso (com a intenção de matar), mas sim culposo (quando uma pessoa mata outra sem a intenção, quando a culpa é inconsciente).

Asfora alegará ainda que houve um excesso de linguagem por parte do juiz que chegou a fazer críticas à defesa de Rodolpho pela interposição de recursos

“Nesta etapa do processo, entendemos que o juiz deveria se ater às provas dos autos e ainda apontaremos que ele não analisou bem as nulidades que apontamos no processo”.

Somente depois da análise dos recursos é que o juiz deverá marcar o júri popular.

Caso fique caracterizado o homicídio culposo, a decisão não será do júri, mas caberá a um único juiz emitir a sentença do acusado.

Fonte: Da Redação




Comentários realizados

  • Essa matéria ainda não tem comentários realizados e você pode ser o primeiro a comentar.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de e-mail é de preenchimento obrigatório, mas não se preocupe que não publicaremos. Seu comentário será moderado pelo administrador do site e só será divulgado após isso.*


Outras Notícias

Vídeos Destaques

Mais Lidas