Bolinha se "encanta" com Bolsonaro, sonha ter seu apoio para prefeito de Campina mas namoro de Romero e Moaci com PSL é pedra grande no caminho

14/08/2019

Encantado pela “vasta cabeleira” de Jair Bolsonaro e acreditando na “dinâmica” política do deputado federal Julian Lemos, que preside na Paraíba o PSL embora tenha sido publicamente em Brasília desmoralizado pelos filhos do Presidente, o empresário Arthur (Bolinha) Almeida encenou hoje aquele que provavelmente seja o primeiro ato falho do seu sonho de voltar a disputar a prefeitura de Campina Grande.

Durante entrevista coletiva por ele convocada hoje (07), deixando vazar para os jornalistas que se filiaria ao PSL para exatamente sair candidato a prefeito pela legenda com apoio de Bolsonaro, Arthur Bolinha acabou sem nada definir, numa estratégia vesga que mostra insegurança e de certo modo medo do prefeito Romero Rodrigues, aliado de primeiríssima hora de Bolsonaro, que o tem mimoseado e deverá estar em Campina Grande em 11 de outubro para inaugurar o complexo residencial e industrial Aluízio Campos.

Bolinha revelou que após a última eleição, na qual disputou o mandato de deputado estadual, tinha pensa de forma definitiva em não mais participar na condição de candidato de uma nova eleição. “Embora tenhamos realizado uma campanha absolutamente com base em propostas e na confiança de quem realmente acredita na nossa vontade de fazer política de maneira séria, sem nenhuma estrutura ou cooptação política, como infelizmente acontece com grande parte dos que são eleitos”, argumentou.

Mas, revelou ter voltado atrás por acreditar em Jair Bolsonaro. “Passado quase um ano do último sufrágio, e ao acompanhar o cenário sociopolítico que se instalou com a eleição do presidente Jair Bolsonaro, onde a população tem participado de maneira mais assídua das decisões importantes que envolvem o nosso país, voltei a acreditar que é possível acreditar na mudança de rumos da nossa política e, sim, isso me fez repensar a decisão tomada anteriormente”, enfatizou.

O empresário diz que costuma andar por alguns locais conhecidos de Campina Grande, como o Calçadão da Cardoso Vieira, a Feira Central e outros lugares importantes para a história da Rainha da Borborema e o que ouve na maioria das vezes é o desejo expresso por várias pessoas “de me convencer a mais uma vez disputar a eleição para Prefeito de Campina Grande”.

E ressaltou, na verdade fazendo uma crítica inclusiva ao prefeito Romero Rodrigues, que em tese poderá vir a ser o empecilho para que a sua candidatura vingue: “São clamores de campinenses que ensejam por uma alternativa real para combater esse modelo administrativo que governa a cidade há praticamente quatro décadas, haja vista que, embora tenha mudado os agentes, as práticas são semelhantes e a cidade tem de certa forma pago o preço por isso”.

Por último, se auto retratando “Salvador da Pátria”, disse ser “inegável que, ao longo de todos esses anos, Campina Grande tem perdido um pouco da sua pujança, do seu protagonismo, da sua importância local como geradora de empregos e grande força econômica para o Nordeste brasileiro. Vivemos dificuldades enormes do ponto de vista social e econômico, fruto exatamente da perpetuação de um modelo falido que não consegue dar à cidade o que ela precisa”.

Bolinha encerrou a coletiva sem nenhuma definição, nem mesmo sobre se assinará ficha de filiação ao PSL, onde na Paraíba o irmão do prefeito, deputado estadual Moaci Rodrigues, tem detonado Julian Lemos, provavelmente com endosso de Bolsonaro, e provavelmente arrebate dele a presidência do diretório estadual do partido nos próximos dias.

Fonte: Da Redação




Comentários realizados

  • Essa matéria ainda não tem comentários realizados e você pode ser o primeiro a comentar.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de e-mail é de preenchimento obrigatório, mas não se preocupe que não publicaremos. Seu comentário será moderado pelo administrador do site e só será divulgado após isso.*


Outras Notícias