Lobby de Veneziano em traição a Wilson Santiago para botar esposa na Câmara Federal deu chabú e sonho de Ana Cláudia é adiado

14/02/2020

O forte lobby montado em Brasília pelo senador Veneziano Vital do Rego (PSB) para que a Câmara Federal mantivesse a cassação do mandato do deputado federal Wilson Santiago (PTB), que levaria a suplente Ana Cláudia (Podemos), sua esposa, a assumir o posto, deu chabú e ela acabou por ter de adiar o sonho.

Ontem à noite, a Câmara dos Deputados decidiu ficar com Santiago.

O parecer contra o afastamento apresentado pelo deputado Marcelo Ramos (PL-AM) foi acompanhado pelo voto de 233 parlamentares. Outros 170 eram favoráveis à suspensão do mandato e sete se abstiveram.

Para manter a decisão do STF, seriam necessários 257 votos a favor do afastamento (contra o parecer do relator).

As investigações da Procuradoria-Geral da República apontam que Santiago e o prefeito de Uiraúna João Bosco Nonato Fernandes cometeram crimes de corrupção e organização criminosa pelo suposto desvio de recursos da construção da Adutora Capivara, no sertão paraibano.

Veneziano contava como certa a ascenção da esposa à Câmara Federal e desde a decisão do STF montou uma verdadeira “operação de guerra”, que a amigos ele informava tratar-se de uma “engenharia política” capaz de aumentar o seu prestígio na esfera federal através da chegada da ex-Primeira Dama de Campina Grande ao Parlamento.

Para viabilizar a empreitada, Veneziano chegou até a interromper o seu recesso de final de ano na Paraíba e voltou a Brasília para, do seu gabinete no Senado, tentar convencer deputados a votarem pela derrocada de Santiago, num gesto de profunda traição ao homem de Uiraúna que muito o ajudou no seu primeiro mandato como prefeito de Campina Grande com emendas parlamentares robustas no Orçamento da União para os projetos municipais campinenses, dentre eles a que possibilitou a edificação da Vila Olímpica Plínio Lemos, no bairro de José Pinheiro, que fatalmente sem o apoio de Wilson Santiago não teria se tornado realidade.

Ao interromper o recesso e voltar à Capital da República Veneziano justificou que iria lutar pelas verbas negadas ao projeto de triplicação da BR 230, de João Pessoa a Cabedelo, cujas obras continuam paralisadas. Mas, não se tem notícia de que ele tenha tratado do tema com nenhuma autoridade federal, o que veio a ser feito por outros parlamentares através da interferência do deputado Efraim Filho, que coordena a bancada paraibana em Brasília.

A “operação Vené” para levar a esposa à Câmara Federal parcialmente deu certo, mas os votos cooptados por ele para tal não foram suficientes para derrubar Santiago. Tanto é verdade que não somente o Cidadania, partido do governador João Azevedo, como o Podemos, onde Veneziano filiou a mulher, fecharam questão contra o deputado.

Fonte: Da Redação




Comentários realizados

  • Essa matéria ainda não tem comentários realizados e você pode ser o primeiro a comentar.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de e-mail é de preenchimento obrigatório, mas não se preocupe que não publicaremos. Seu comentário será moderado pelo administrador do site e só será divulgado após isso.*


Outras Notícias