Musa de Veneziano na PMCG vira "pedra no caminho" de Ana Cláudia na disputa por vaga na Câmara Federal

24/07/2018

Musa do Governo Veneziano Vital do Rego quando prefeito de Campina Grande, a quem ele confiou inicialmente a direção do SAMU e mais à frente a poderosíssima Secretaria de Saúde, instrumento financeiramente forte para que viabilizasse a corrida sucessória e pudesse se postar à frente d’outros pretendentes ao cargo, a médica Tatiana Medeiros anunciou hoje em redes sociais que concorrerá a uma cadeira na Câmara Federal nas próximas eleições, empreitada que fatalmente dificultará na Borborema os passos da ex-Primeira Dama Ana Cláudia, também engajada na busca por uma vaga no Congresso Nacional.

“Decidi, no último dia cinco, que não deveria me ausentar da próxima disputa eleitoral. Pois, se pessoas preparadas tecnicamente, que prezam pela ética e que têm o trabalho comprovado e honesto como diretriz, não oferecerem o nome como opção, como poderemos melhorar nosso país?”, informou a médica colocando-se como representante da “renovação de verdade”.

Tatiana diz que representa a possibilidade de melhoria da Saúde Pública e o reconhecimento de todos os profissionais dessa área, bem como a mulher trabalhadora, a mulher-mãe e o anseio da população de mudança urgente e necessária. “Tenho esperança no povo da Paraíba, desesperançoso que está”, conclui a postagem.

DERROTA PARA PREFEITA

Candidata ‘in-pectore’ para sucedê-lo, Veneziano enfrentou além de fortes resistências partidárias também as familiares, que num primeiro instante rejeitavam a médica, em que pese naquele difícil momento da reprovada segunda gestão do cabeludo ser ela a única dentre todos os assessores a defendê-lo com unhas e dentes.

Veneziano subiu e desceu ladeiras com Tatiana e até mesmo sem ela, quando um pequeno acidente a impediu de participar integralmente de toda a agenda eleitoral, mas nem isso foi suficiente para que ela ganhasse o pleito, vencido nos dois turnos por Romero Rodrigues.

Abertas as urnas e vendo-se derrotada, Tatiana amuou-se e a primeira revolta pública veio através da sua irmã, empresária de cosméticos, classificando de “merdinha” o cargo que a mana pleiteava e soltando indiretas para a família Rego. Na sequencia, o filho de Tatiana, vereador Cassiano Pascoal, também derrotado no pleito, nominou vários secretários de Veneziano como BANDIDOS de um Governo que identificava chamuscado por corrupção.

A médica desgarrou-se do Grupo Rego e tentou carreira solo no pleito seguinte, mas não conseguiu eleger-se deputada estadual, obtendo pouco menos de 10 mil votos numa disputa onde não pediu o apoio do ex-tutor.

Apimentando ainda mais as diferenças com Veneziano, Tatiana aliou-se a Ricardo Coutinho já no turno inicial das últimas eleições para o Governo do Estado, não por coincidência quando o ex-prefeito golpeava RC de todas as formas possíveis e imagináveis, o que lhe valeu depois como prêmio a nomeação para dirigir a superintendência da III Regional de Saúde do Estado, com sede em Campina Grande, cargo que deixou dia cinco para a disputa deste ano.

O curioso é que Tatiana mostra seguir caminho paralelo ao de Veneziano e com ele não mais se aliar. Prova maior é o seu já anunciado apoio à candidatura do senador José Maranhão (MDB) quando o óbvio seria apoiar o candidato governista João Azevedo (PSB), apoiado pelo V.

De real, fica a certeza de que Tatiana vai tirar votos não somente de Ana Cláudia, com quem disputa em confronto direto, mas principalmente do seu ex padrinho (Veneziano), a quem não pedirá votos para o Senado Federal.

Fonte: Da Redação




Comentários realizados

  • Essa matéria ainda não tem comentários realizados e você pode ser o primeiro a comentar.

Outras Notícias