Outra gafe da gestão Ivonete leva pessoense a fazer mais chacota do Legislativo de Campina

12/03/2018

Outra lamentável atrapalhada da desastrosa gestão Ivonete Ludgério à frente da Câmara Municipal de Campina Grande está nas manchetes da mídia pessoense, envergonhando não somente os membros do Legislativo na Borborema, mas toda a cidade.

Segundo estampado no Jornal da Paraíba do final de semana, mais precisamente no blog de Suetoni Souto Maior, no lugar de publicar na área oficial da página da internet da CMCG os balancetes de gastos está publicada a letra do Hino Nacional brasileiro, uma gafe inominável que o jornalista pessoense diz lembrar episódio no qual o Diário Oficial do Tribunal de Justiça publicou texto inspirado em frases do humorista Mussum, já falecido.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Veja o texto de Suetoni:

“Quem se aventurou a buscar no Portal da Transparência da Câmara Municipal de Campina Grande alguma informação sobre gastos, neste fim de semana, teve uma surpresa. Onde deveria existir balancete contábil havia, na verdade, o texto referente ao Hino Nacional. Ao responder questionamento do repórter da CBN em Campina Grande, Silas Batista, a assessoria de imprensa da Casa comandada pela vereadora Ivonete Ludgério (PSD) culpou o estagiário. O jovem, segundo a informação repassada, estava em treinamento e postou os versos justamente no momento da consulta feita pelo repórter da Rede Paraíba de Comunicação. A gafe cometida pela Câmara não é a primeira no histórico produtivo de eventos do nosso estado.

Enquanto os organizadores do site estiveram deitados “eternamente em berço esplêndido”, a trapalhada ganhou o mundo virtual.

Não faz muito. Ou melhor dizendo, no ano passado, o Tribunal de Justiça da Paraíba publicou no Diário Oficial da Justiça um texto inspirado nas frases do humorista Mussum, de Os Trapalhões. Apesar de já falecido, as piadas dele foram eternizadas no site Mussum Ipsum, usado para diagramação e programação visual. Alguém colocou o texto para fazer a medida de espaço e, voilá… o estrago estava feito. Foram incluídas frases absurdas como “Copo furadis é disculpa de bebadis”, “Leite e capivaris, leite de mula manquis” e “Casamentis faz malandriz se pirulitá”. As frases na linguagem do “i” eram muito comuns nas comédias encenadas por Mussum, personagem de Os trapalhões. O programa ia ao ar nos domingos e fez muito sucesso entre os anos 1970 e 1980”.

Fonte: Da Redação




Comentários realizados

  • Essa matéria ainda não tem comentários realizados e você pode ser o primeiro a comentar.

Outras Notícias