Padre acusado de pedofilia no Conde que chefiava gabinete da prefeita volta à gestão agora como Secretário de Infraestrutura

02/06/2020

Traída e abandonada por pseudos amigos e vivendo um verdadeiro inferno astral depois que foi obrigada a botar uma tornozeleira eletrônica na perna por decisão da Justiça em face de supostamente ter praticado ilícitos ao tempo em que foi auxiliar do Governo Ricardo Coutinho, cujo envolvimento está sendo investigado pela Polícia Federal no âmbito da operação Calvário, a prefeita do Conde, Márcia Lucena (PSB), resolveu hoje “ressuscitar” um velho e até aqui leal companheiro: o padre Severino dos Santos Melo, seu ex-Chfe de Gabinete que pediu demissão depois de ter sido acusado de crimes de pedofilia.

Severino foi nomeado hoje Secretário Municipal de Infraestrutura em substituição a José Fabiano Medeiros, que sai do Governo sob a pecha de traidor, supostamente cumprindo determinação do presidente do Legislativo, Vereador Carlos Manga Rosa, mais novo inimigo da prefeita.

O ato de nomeação, a portaria 0137/2020, já foi publicado no Diário Oficial do Municúipio e o padre deve assumir as funções imediatamente.



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O reverendo foi demitido no Conde logo após a veiculação de uma reportagem pelo Fantátisco, da Rede Globo de TV, onde foram apresentados relatos de pessoas que participaram das investigações do caso de pedofilia entre vários sacerdotes e um rapaz que foi assistente de missa e seminarista. Uma mulher que escreveu uma carta para a Igreja informou que havia ouvido comentários que indicavam que algo errado estava ocorrendo na Igreja Católica da Paraíba e a investigação principiou através da Procuradoria do Trabalho.

Na época a Arquidiocese da Paraíba afirmou por meio de nota que “o Procurador do Trabalho violou explicitamente o sigilo” ao conceder entrevista sobre a condenação. A Arquidiocese pontuou que iria adotar as medidas necessárias para apurar as responsabilidades em relação ao desrespeito à lei e à ordem jurídica.

O Padre Severino Melo foi responsável por dirigir a paróquia da Santíssima Trindade, no bairro Valentina Figueiredo, por muitos anos. Além disso, foi diretor do Centro Cultural São Francisco, no Centro, e do Instituto Dom Adauto, no bairro de Jaguaribe, também na capital paraibana.

Ele atuou como padre em paróquias da Arquidiocese da Paraíba nos municípios do Conde e Mamanguape. Também foi candidato ao cargo de prefeito do Conde, em 2012, e durante a gestão do ex-governador Ricardo Coutinho foi assessor do gabinete do Governo do Estado. Com a eleição de Márcia, a quem apoiou na campanha, foi chefe de gabinete da Prefeitura.

Quando a Globo exibiu a matéria no Fantástico a Prefeitura do Conde contestou as informações sobre o padre dizendo que ele fazia parte da equipe de gestão desde 2017, quando o Ministério Público estadual teria arquivado o processo. O reverendo estava de licença na Bahia, em visita a um irmão, e foi aconselhado pela prefeita a retornar e pedir demissão, o que aconteceu.



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Severino Melo justificou a saída encaminhando extensa carta à prefeita onde afirmava que “a decisão de afastar-me não significa aceitação tácita de imputações jamais comprovadas de supostos desvios éticos acontecidos em minha longa e frutífera prática sacerdotal”.

Relembre a seguir a carta do reveredo:

“Excelentíssima Prefeita Márcia Lucena:

Evoco o profeta neste momento em que encaminho à Vossa Excelência meu pedido de exoneração do cargo de secretário-chefe de Gabinete: “Regozija-se a minha alma em meu Deus”.

Afirmo que a decisão de afastar-me não significa aceitação tácita de imputações jamais comprovadas de supostos desvios éticos acontecidos em minha longa e frutífera prática sacerdotal.

Sobre as acusações, agora renovadas em reportagem de televisão, relembro que o processo que originou questionamentos à minha conduta pastoral foi arquivado e homologado em novembro de 2017 pelo Conselho Superior do Ministério Público da Paraíba por absoluta falta de provas.

Compreendo o meu afastamento, no entanto, como imperativo frente a desdobramentos de ordem política que não aproveitam à Prefeitura de Conde.

Aos adversários da retomada do desenvolvimento do município cumpre o desserviço à população de a tudo distorcer e desacreditar com inverdades o trabalho cotidiano pleno de dignidade que iniciamos quando de sua posse.

É também em resguardo à população assistida pela nossa gestão democrática que me retiro da cena administrativa preservando-a dos inconvenientes de injúrias descabidas contra a gestão que poderão advir numa conjuntura de confrontos e conflitos artificialmente criados por grupos oposicionistas.

Cumpre-me além do que está posto, enfatizar o meu amor incondicional à gente honrada e bondosa de Conde que sempre me acolheu em sua benevolência; e reafirmar minha gratidão pela oportunidade que a mim foi dada pela gestão à qual Vossa Excelência lidera de integrar o trabalho grandioso que a Prefeitura realiza em benefício do Povo de Deus.

Reitero, ainda, que é com o coração partido e sangrando que saio dessa atividade que tenho desenvolvido ao seu lado. Sei que o sacrifício e martírio sempre foram necessários para a libertação e salvação de populações inteiras. Fez-se necessário a morte de Cristo em favor do bem da humanidade.

Muitas vezes se faz necessário morrer como um grão de milho, para ressuscitar, renascer para a Páscoa total.

“Louvarei ao Senhor em todo o tempo; o seu louvor estará continuamente em minha boca”.

Pe. Severino dos Santos Melo".

Fonte: Da Redação




Comentários realizados

  • Essa matéria ainda não tem comentários realizados e você pode ser o primeiro a comentar.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de e-mail é de preenchimento obrigatório, mas não se preocupe que não publicaremos. Seu comentário será moderado pelo administrador do site e só será divulgado após isso.*


Outras Notícias