Prefeita do Conde humilha vice com Sindicância e agora sem contar com Coutinho avança no ramo da politicagem barata

17/01/2019
Família Ribeiro, do Conde (Temístocles Filho é o de camisa preta)
Família Ribeiro, do Conde (Temístocles Filho é o de camisa preta)

Convivendo agora sem o paternalismo daquele que realmente a elegeu - Ricardo Coutinho - e que, por essa condição, revolucionou para melhor o Conde nesses últimos dois anos transformando o abandonado Município em um local com plena infraestrutura urbana e turística, a prefeita Márcia Lucena (PSB) começou 2019 com uma única meta: pavimentar solidamente o caminho da sua reeleição.

Já consciente de que não encontrará em João Azevedo o mesmo tratamento prioritário que lhe deu RC, na verdade o prefeito de fato do Conde desde 01 de janeiro de 2017, Márcia deu largada ontem à sua estratégia política começando com a tentativa de sepultar todas as históricas lideranças, mesmo aquelas que chamou a lhe apoiar na campanha eleitoral, como a  da família Ribeiro que ao lado de Ricardo Coutinho foi decisiva para o resultado das urnas.

Em ato publicado no Diário Oficial do Município de ontem (10), a prefeita condense constituiu Comissão de Sindicância (portaria 005-2019) através da qual começa a humilhar o vice-prefeito Temistócles de Almeida Ribeiro Filho instaurando investigação para apurar possível acúmulo de cargos do conhecido médico na estrutura municipal.

Amparada no Processo Administrativo 2018.004666, a investigação contra Teo será presidida pelo servidor Severino Carneiro da Silva e terá mais dois membros: os servidores Urias Linhares Alves e Márcia Maria de Lima Pimentel, o trio da mais estrita confiança da gestora.

Temistocles passou a ser tratado como inimigo da sua companheira de gestão no momento em que tentou ajudá-la a governar e, como conhece a fundo todos os recantos do Conde e seus principais problemas, diferentemente da prefeita que somente na campanha começou a percorrer, com um guia, praias e vielas condenses, com ela rompeu publicando extenso manifesto nas redes sociais denunciando o fracasso da gestão e a invasão de amigos pessoenses dela na máquina administrativa.

Médico atuante, Temístocles continuou a exercer a profissão, até porque os proventos que constitucionalmente recebe como vice-prefeito são perfeitamente legais. Ademais, excluído que foi de contribuir com a administração, não exerce no Município nenhuma função e se mantém apenas como o primeiro  nome da linha sucessória, o que incomoda Márcia Lucena, que a amigos nunca escondeu que seu desejo é de que o vice mande ao Legislativo uma Carta-renúncia.

O óbvio é que o resultado da sindicância, em que pese o direcionamento vingativo, não dará em nada e Temístocles sairá dela do mesmo modo em que está entrando: inocentado. Mas dará à prefeita munição que precisa para defenestrar os Ribeiros na campanha de 2020.

A CORJA

Ainda ontem a ex-vice-prefeita Sandra Ribeiro, irmã de Temístocles e que rompeu com a então prefeita Tatiana Lundgren no dia da posse, resumiu em uma curta frase a situação: “Téo só foi bom para eleger essa corja”.

Márcia, que nada fez pelo Conde nesses dois anos, agora se decide a FAZER politicagem barata. Que o Município se dane!



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Da Redação 




Comentários realizados

  • Essa matéria ainda não tem comentários realizados e você pode ser o primeiro a comentar.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de e-mail é de preenchimento obrigatório, mas não se preocupe que não publicaremos. Seu comentário será moderado pelo administrador do site e só será divulgado após isso.*


Outras Notícias

Vídeos Destaques

Mais Lidas